Pneus descartados: Um problema ambiental crônico.


As vendas de automóveis crescem a cada ano no Brasil. Saindo dos escombros financeiros causados pela crise, os brasileiros estão aumentando seu poder de compra e adquirindo veículos, alavancando o setor automobilístico no país. Contudo, mesmo com resultados positivos crescendo de um lado, há também um crescimento de resultados negativos, uma vez que o descarte de pneus usados se torna ainda mais acentuado.


Como o consumo deste material não é consciente, o descarte de pneus no meio ambiente se torna um hábito comum, gerando uma série de consequências ambientais, sociais, sanitárias e financeiras.

Produção X descarte


Um estudo feito pela Universidade de Vrije, na Holanda, descobriu que todos os dias são fabricados cerca de 2 milhões de novos pneus no mundo. Isto significa uma produção anual de 730 milhões de pneus (2018). Ao mesmo tempo, hoje são transformados em sucata 800 milhões de unidades por ano. No Brasil, pelo menos 450 mil toneladas de pneus são descartados por ano, sendo que 0,5% do lixo urbano brasileiro são de pneus velhos e fora de uso. Hoje são descartados no país cerca de 17 milhões de pneus por ano, em sua maioria em lixões a céu aberto ou, mais crítico, em rios, córregos e canais, como é comum se observar na capital do estado do Pará - Belém - e municípios do interior, causando irreparável dano sócio-ambiental.

Principais consequências do descarte inadequado de pneus


Problemas na biodegradação


O descarte de pneus no meio ambiente é um grande problema ambiental especialmente por conta de seu elevado tempo de deterioração, estimado em 600 anos, causando poluição do solo e contaminação de áreas por séculos. Além disso, quando estão expostos à luz solar e às chuvas, os pneus começam a se desfazer tanto em líquidos como em gases, contaminando ecossistemas inteiros e a atmosfera.


Dificuldade em saneamento básico


Pneus também são fontes para diversas doenças. Dengue, malária e febre amarela são algumas das enfermidades que advêm do descarte de pneus de forma incorreta. Acumulando água e sujeira, os pneus também contaminam o solo, podendo causar infecções nas pessoas e atingindo até os animais que se alimentam de recursos naturais contaminados pela eliminação de resíduos químicos que fazem parte da consistência dos pneus.


Gastos excessivos


O poder público também sofre com o descarte de pneus no meio ambiente, uma vez que é preciso investir na retirada constante desses materiais em rios, lagos, mares e solos acarretando maiores dispêndios do orçamento público.


A Solução


O Grupo Iner, sensível ao grande problema causado pelo descarte inadequado de pneus usados diretamente em lixões e demais espaços urbanos, trará, em breve, a solução definitiva para esse grave problema ambiental, através da implantação em todo o país - Estado do Pará inclusive - de inúmeras usinas de reciclagem, os chamados Centros de Transformação Final - CTF´s, com suas Unidades de Processamento de Pneus - UPP´s, que, com tecnologia de última geração, propiciará o correto tratamento desse tipo de material altamente poluente, transformando-o em novos produtos e riquezas, reduzindo assim o impacto negativo ao meio-ambiente.




Fonte:

.


16 visualizações

Diretoria de Implantação de Projeto:

Rua Cecília Bonilha nº 145, São Paulo - Capital - (Sede Própria) Telefone: +55 (11) 3991-9919 Todos os Direitos Reservados​ © 2018

"Movimento Passando o Brasil a Limpo"